"guardo faltas dentro do peito": um texto de Priscila Reinaldo

Priscila Reinaldo


Ilustração de Priscila Reinaldo


guardo faltas dentro do peito


dentro: onde se movem os vazios


no lado direito coleciono folhas, ecos e folhas em branco.

trago frestas e ranhuras.

morada que ainda não sei o nome

dentro mora o receio do que há além das portas

invade as entranhas

estranha minhas lágrimas confusas

me transforma em bicho quimérico

tão fino que tudo atravessa

perfura

transpassa


bicho pequeno como um grãozinho de arroz

jogado no chão do mercado.



***


Priscila Reinaldo

Poeta, artesã e médica. Publica seu trabalho em zines, lambe-lambe e diários. Nasceu nas montanhas em 1995 e veio para perto do mar em 2021. Gosta de literatura, de café e do gato Leão.


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo