"Já basta de grade, de cela, prisão"

Natália Pinheiro*


Ilustração de Ju


Já basta de grade, de cela, prisão

O lance é ser ponte

Se junta no bonde

E vamos traficar informação

Se é pra falar em armamento

Eu falo “conhecimento”

E esse eu defendo até a vida

Na corrida contra a morte eu digo

“Sou à favor do porte

De livro na mão”

De poesia na boca, no poste, na roda

Que segue girando e espalhando palavras

Da literatura no meio da rua

Beirando as calçadas

E ao alcance de quem a quiser

Construindo sonhos e vidas

Novas narrativas que mostrem a periferia como a potência

Que sim, ela é

Inspirando da criança ao idoso

Construção de um mundo novo

Poder pro povo

E o direito a sonhar

O direito a sonhar...

Porque já basta de grade, de cela, prisão

Eu quero é ver gente sonhar

Esperançar

Com papel e caneta

E livro nas mãos.


-


***


Natália Pinheiro é um aquário cheio de água, poeta e slammer, tem um coração amador que não sabe e nem quer hierarquizar amores, historiadora em formação, nascida e criada nas terras do Cariri e integrante do Coletivo Camaradas e Slam das Minas Kariri.


Ju

trinta anos de sonho e de sangue. sol em aquário, lua em gêmeos e mais um monte de ar no mapa, mas jura que tem um coração. onde queres um lar, revolução. é psicóloga. desenha e escreve para não sufocar com as forças incontroláveis que traz no peito.



10 visualizações0 comentário