• isabelaliaseditora

ARQUEOLOGIA DAS FÓRMULAS ESCONDIDAS: um texto de Cibele Alexandre

Cibele Alexandre*

Ilustração de Ju


ARQUEOLOGIA DAS FÓRMULAS ESCONDIDAS

No meio do nosso deserto

escavarei uma biblioteca

sem fim e sem começo

arquitetada por um velho

vizir persa que se perdeu


a biblioteca que encontrarei

enterrada por digno coveiro

escondida e não cartografada

está submersa e foi asfixiada

por inumeráveis grãos de areia


travarei uma batalha ocidental

alucinante com ventos contra-alísios

movendo dunas semoventes

até encontrar a entrada transversal

conhecida apenas por um pigmeu


em um de seus estreitos corredores

perceberei estar em uma réplica

com estantes paralelas que seguem

a regra de invariavelmente

encontrarem-se no infinito


onde apenas um livro existirá

na segunda prateleira de mogno

contada de cima para baixo

observando bem o lugar do corpo

sob o efeito da gravidade


após escalar livros pergaminhos

mapas cartas diários contas de bar

terei em mãos o misterioso livro

sem título autor índice onomástico

sem ano cidade editora edição


desses que falam coisas

dessas assombrosas e bonitas

sobre uma esfera sem cor

e com densidade infinita

que desvendará o espaço-tempo


a partir da falha que transportará

uma cachalote de vinte metros

para o meio de um deserto

e um camelo de quarenta anos

para as profundezas do oceano


tudo isso para encontrar ali

nas margens da página vinte e quatro

desse único exemplar escondido

a forma de obter os valores de x e y

a partir da poeira da estrela z


estudando durante mais vinte e seis noites

terei a fórmula que me permitirá

converter tempo em distância

para finalmente poder calcular

os anos-luz que separam nossos corpos




janeiro de 2021



***


Cibele Alexandre


Mestra em Direito Constitucional Público e Teoria Política pela Universidade de Fortaleza. Pesquisadora nas áreas de Direitos Culturais e Mediação de Conflitos.


Ju

trinta anos de sonho e de sangue. sol em aquário, lua em gêmeos e mais um monte de ar no mapa, mas jura que tem um coração. onde queres um lar, revolução. é psicóloga. desenha e escreve para não sufocar com as forças incontroláveis que traz no peito.



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo